SCM Music Player - seamless music for your Website, Wordpress, Tumblr, Blogger.
Sexta-feira, 11 de Março de 2011

Hello.

Aqui estou eu, com mais um capítulo. Uma pequena mudança de narrador, porque vou escrever na pele de Carlisle. Vamos ver como me saio nesta pequena aventura (uma dica de uma leitora, e espero que ela goste). Ah, isto é apenas a parte 1, e vou postar a parte 2 no fim de semana meus queridos leitores ;)

Beijinhos.

 

Carlisle Cullen:

 

-“Esme? Esme!” – não a encontro em lado nenhum. Desde que decidi que estava na altura de tirarmos umas mini férias de toda a família e simplesmente dar asas ao nosso amor, esta criatura linda de Deus decidiu que Paris era simplesmente perfeita para compras. Sim, compras para a remodelação da nossa casa em Forks. Desde que virou a moda de ter artigos vintage nas casas, ela, com a sua paixão óbvia por remodelações, tem andado a correr a Cidade da Luz inteira, à procura de novos artigos.

 

-“Sim, Carlie?” – Ela apareceu no quarto, trajando um belo vestido verde, e um par de saltos altos pretos. Bem ao estilo maternal, mas que nela era bastante sexy e único, até. Tenho a certeza que não existe uma mamã no mundo tão bela como a minha esposa.

 

-“Vais voltar às lojas de mobiliário hoje? Sinceramente, já penso que estou a ser trocado por um monte de móveis que parecem ser da minha época. Claro que eu os acho belos, mas estou farto destas tarefas de mulher.” – Fiz um biquinho, na tentativa de a dissuadir a mais uma maratona de aquisições.

Eu juro que se fossem roupas o seu objecto de atenção, eu até suspeitaria que Alice tivesse hipnotizado a minha esposa.

 

-“Isso é machismo Carlisle! A casa é nossa, nós vamos fazer as remodelações juntos! Fim de conversa.” – Ela mostrou-se meia irritada, mas logo lançou-me um sorriso cínico –“Mas claro, se preferires, podes sempre deixar tudo à minha escolha. Garanto-te que vais adorar dormir num quarto de casal rosa, coberto de rendas e flores amor.”

 

-“Esme, Esme, sabes perfeitamente que isso seria um atentado à minha masculinidade. Os rapazes Cullen iam gozar-me durante décadas, até tu decidires fazer uma nova reforma na casa.” – Suspirei, sentindo o cheiro da derrota a pairar –“ Mas tu sabes que eu não gosto de compras. E por mais que tentes, eu adoro a casa de qualquer maneira, porque sei que tu tens óptimos gostos. És simplesmente perfeita em tudo o que fazes e eu amo-te por o que és.”

 

-“Óptimo, então posso contar com a tua companhia hoje? As ruas de Paris esperam-nos.”

 

-“E as lojas de mobiliário estão ansiosas por verem os nossos cartões de crédito.” – ri-me, descaradamente, e fui vestir o meu casaco. –“Vamos?”

 

-“Sim, deixa-me só ir buscar a minha mala. Sabes que eu te amo, certo?"

 

-"Sim, e é por isso que eu faço tudo por ti."



publicado por Isabela às 11:02 | link do post | comentar | ver comentários (27) | favorito

Quinta-feira, 3 de Março de 2011

Olá meus queridos amados leitores. Mil e uma desculpas, desde já, pela minha falta de capítulo na sexta. Simplesmente, estava sem internet e não pude vir cá. Agradeço todos os comentários, todas os elogios, tudo! Os leitores são o que me dá forças para continuar esta fic e eu agradeço-vos do fundo do meu coração. Em breve, esta fic vai ser finalizada, mas eu já ando a trabalhar num novo projecto, uma nova fic (Beward, obviamente).

Beijinhos, este capítulo vem mais cedo, porque amanhã não sei se vou ter tempo de postar. Até à próxima sexta!

Catheline.

 

P.s: Não existe aqui ninguém que queira fazer um novo layout para esta fic? Se sim, comenta e manifesta o teu desejo!

 

 

 

Edward Cullen:

 

Depois da nossa breve estadia no Rio de Janeiro, e assim que anoiteceu, não vi mais nenhum motivo para adiar a nossa ida para a ilha Esme, apesar de toda a relutância da minha Isabella. Ela é uma autêntica protectora da filhota, assim como eu; mas eu tenho de tirar esta história a limpo, com um certo lobo.

Eu cedi à minha vontade e deixei-os namorar, com a promessa dele em que não haveriam faltas de respeito e ele não cumpriu com a sua palavra.

 

-“Edward, vamos então?” – Bella já subia para a pequena embarcação que os Cullen possuíam no cais, e eu encontrava-me parado, perdido nos meus pensamentos. Com cara de pastor, certamente.

 

-“Sim, vamos meu anjo. Senta-te que eu conduzo.” – Coloquei a chave na ignição do barco, mas uma mão gélida rodeou a minha cintura, beijando-me as costas.

 

-“Amor, posso pedir-te uma coisinha insignificante para ti, mas bastante interessante para mim?” – Olhei a minha esposa de relance, acenando positivamente –“Podes-me ensinar a conduzir este veiculo? Adorava aprender e não me parece ser nada de difícil…”

 

-“Já sabes que a resposta vai ser positiva. Existe alguma coisa que eu te nego meu anjo?”

 

Ela riu-se, pondo-se em bicos de pés para me dar um pequeno beijo nos lábios. Afastei-me do volante, rodeando a sua pequena cintura com os meus braços e colocando a minha cabeça num dos seus ombros…ela aprendeu facilmente a manusear e logo nos pôs a caminho da minha filha, devagar, mas pôs. Sentei-me num dos sofás existentes no barco e, relaxadamente, pus-me a observar a enorme lua que nos banhava e as centenas de estrelas que cobriam o céu.

A noite estava absolutamente divinal, e fazia-me lembrar a primeira noite em que atravessei este mar com a minha, na altura recente esposa. Foi tudo demasiado perfeito. Como agora está a ser. Tão perfeito que, se eu pudesse sonhar, considerava tudo um sonho. Mais uma vez, deixei-me absorver pesadamente nas minhas fantasias, desligando todos os meus outros sentidos, fechando os olhos. Durante segundos, minutos ou até horas apenas sentia o cheiro inebriante da minha companheira à minha volta.

Até o barco parar. Abri os olhos e notei que estávamos a embarcar numa pequena praia de areia bem cristalina, quase branca. Existia uma pequena vegetação ao de longe e pude sentir, ao de longe, o cheiro de lenha a queimar, lentamente.

 

-“Bella, isto não é a ilha Esme! Onde estamos meu amor?”

 

-“Anda.” – Ela ofereceu-me a sua mão, e eu apertei, de imediato.

 

Ignorou a minha pergunta e continuou a sua marcha, até sair do porto; antes de pisar a areia, ela limitou-se a tirar os sapatos e seguiu a marcha, admiravelmente descalça pelo areal. Largou-me a mão e lançou-me um sorriso de derreter corações, e desatou a correr velozmente, embrenhando-se na vegetação. Seguia-a e dei de caras com uma casa rústica, de dois andares, amarela com janelas e portas de madeira clara. Esta possuía um pequeno lago perto da entrada e pude observar diversos peixes laranjas a viverem lá. Era uma casinha simplesmente perfeita. E Bella possuía a chave da mesma.

 

-“Espera, Bella! Amor, não me digas que agora andas a roubar humanos?”

 

-“Edward, é claro que não!”

 

-“Então diz-me, como é que tens a chave desta casa? Eu só sinto cheiro humano por aqui amor…”

 

-“Entre aqui e depois eu explico-te tudo. Prometo.”

 

Ela abriu a porta da casa, e eu fiquei pasmado. Dei-lhe a mão enquanto ela me guiava; ao entrar, deparei-me com uma enorme sala de estar, com um sofá redondo para diversas pessoas, de couro castanho. À volta existiam inúmeras almofadas coloridas, com missangas e pedrinhas, ao estilo indiano e marroquino. Um enorme plasma cobria a parede de frente para os sofás. Ao continuar a visita guiada, notei que esta habitação possuía, no andar de baixo, um escritório com inúmeros aparelhos tecnológicos, uma pequena sala de jantar e uma pequena cozinha.

 

Subimos ao andar de cima, através de uma escadaria em espiral e, se pudesse chorar, garanto que era isso que estava a fazer neste exacto momento: deparei-me com um enorme quadro meu e da Bella, no dia do nosso casamento. A minha Isabella Cullen humana, com o olhar fixo no meu, a dançar. Olhos castanhos chocolate vs. Olhos dourados. O principio da eternidade. Depois de breves minutos a analisar tamanha perfeição de arte, desviei o olhar para a minha companhia. Ela estava completamente irradiante a olhar para mim.

 

-“Bella, o que é tudo isto?”

 

-“O meu presente para ti. Sê bem-vindo à nossa ilha Edward.”

 



publicado por Isabela às 16:59 | link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito

Catheline, fanfiction.
♥ apresentação
Uma Fic, entre tantas outras; uma história de amor, acção, amizade e ódio; Uma fã de saga Twilight a escrever a sua continuação de Breaking Down. Espero que gostem, sejam bem-vindos, Catheline.
posts recentes

Esta semana preparem-se.....

Um simples pedido de desc...

Capitulo 29: Paris (Parte...

Capítulo 28: A ilha

Capítulo 27: Planos

Capitulo 26: Coração (Con...

Capítulo 26: Coração

Capítulo 25: És a minha v...

Capítulo 24: Corações pal...

Capítulo 23: Alec Volturi

Olá caros leitores...

Capítulo 22: Sangue Derra...

Capítulo 21: A escolhida ...

Capítulo 20 - Imprinting

19º Capítulo - Sentença

18º Capítulo - Musica, da...

17º Capítulo - Somos idên...

16º Capítulo - Observados...

15º Capítulo - Sou louco ...

14º Capítulo - Não Emmett...

arquivos

Junho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

links