Sexta-feira, 10 de Setembro de 2010

Olá. Obrigada por todos os comentários, que vou retríbuir ainda hoje. Ainda quero ver se hoje mudo o visual a este blog :)

Quero dedicar este capítulo à Alexandra Queirós e quero-lhe desejar boa sorte para a Fic Twilight que ela iniciou à pouco tempo. Uma boa escritora, sem dúvidas algumas :)

Beijinhos, ~ c.cullen.

 

Jacob Black:

 

A minha estadia na ilha Esme com a mulher que eu amo está a ser perfeita. Fazemos longas caminhadas pelo extenso areal ali presente, nadamos atrás das criaturas marinhas mais fantásticas que alguma vez vimos, dormimos encostados na rede de ráfia existente no exterior da casa. A casa era muito, mas mesmo muito quente. Eu não consigo dormir dentro dela e como Renesmee insiste que não quer dormir sem mim, dorme encostada ao meu peito, na enorme rede. Quando tentámos dormir juntos dentro da casa, ela nem se conseguia encostar a mim, porque dizia que eu estava a ferver. Por isso, óptamos por dormir cá fora. Enquanto tenho estes pensamentos, olho para o céu, coberto de estrelas e pela enorme lua e sorrio ligeiramente. Nessie dormia tranquilamente, encostada ao meu tronco nú e com a cabeça deitada no lugar do meu coração. Os Cullen presentes na Ilha foram caçar ao continente, para variar o menú.

 

-"Jake, Jake..." - murmurava Renesmee, que estava a sonhar. -"Oh, Jacob..."

 

-"Nessie? Está tudo bem contigo?" - toquei-lhe ao de leve nos cabelos suados -"Estás com calor amor?"

 

Contudo, ela não abria os olhos, continuando a sonhar e a murmurar o meu nome. Nisto, estende a sua mão rosada em direcção ao meu rosto. Nem sei o que pensar. Renesmee Carlie Cullen, a ter este tipo de sonhos comigo? Começo a pensar que não sou eu que a estou a fazer transpirar. Nisto, dou uma ligeira gargalhada, e acabo por acordá-la. Ela beija-me, ao de leve, e depois nota que têm a mão colocada na minha cara, apercebendo-se que me transmitiu os seus sonhos menos impróprios. Logo de imediato, as suas bochechas ficam imensamente vermelhas e ela esconde a cara de encontro ao meu peito, encostando-se nele. Voltei-me a rir, mas desta vez, mais tenso.

 

-"Jacob, desculpa, eu não consigo mandar nos meus sonhos. Até o meu inconsciente deseja-te."

 

-"Nessie, não tens de pedir desculpa." - peguei-lhe no rosto e fiz com que os nossos olhares se cruzassem -"Eu também te desejo, muito."

 

-"Então, porquê que não me satisfazes? Torna o meu sonho real, peço-te amor."

 

-"Não Renesmee. Eu sinto que te desrespeitei amor." - ela arqueou as sobrancelhas, no seu rosto perfeito -"Eu amo-te, e não estou arrependido do que nos aconteceu, foi mágico. Eu vou sempre querer-te, daquela maneira."

 

-"Então, porque não me queres agora? Beija-me, provoca-me, sente-me. Eu sou tua. E quero ser tua."

 

-"Renesmee, eu estou preocupado com a reacção dos teus pais quando souberem deste assunto. Como pensas que o teu pai vai reagir quando souber que eu roubei a virtude à sua amada filha?"

 

-"Tu não roubaste nada, eu ofereci-ta, com muito amor e carinho." - ela beijou-me levemente o peito -"E eu penso que nós deviamos continuar a nossa prática, meu lobo."

 

Não ofereci mais resistência, talvez porque a minha ansiedade por ela estava-me a corroer por dentro. Passo a minha mão quente pelas suas costas, enquanto que ela se senta na minha cintura. Nisto, a rede girou a caímos ambos à areia quente. Mas mais quente do que nós não estava. Ela voltou-se a sentar na minha cintura, sacudindo a areia dos longos cabelos, iluminados pela luz da Lua. Passo a mão, inquieta e desejosa, pela camisola de alças verde do pijama dela e atiro-a para longe. Nisto, apoio-me pelos braços e levanto as costas da areia, beijando-lhe o peito. Ela estremeceu, de olhos fechados. Ela fez-me baixar, novamente, e encosta os lábios aos meus, mordendo-me o lábio inferior.

 

-"Jake, do que estás à espera? Eu não quero esperar. Ama-me."

 

Testo-lhe a paciência, tranquilamente. Tiro-lhe a parte de baixo do biquini com o qual ela estava a dormir e levanto-a com as minhas mãos, erguendo-a no ar, em cima de mim. Ela ri-se, desalmadamente.

 

-"Oh Nessie, eu amo-te, minha vampira-humana."

 

-"Eu também te amo, meu lobo, meu cãozinho de estimação lindo."

 

Nisto, baixo-a e encaixo-a comigo, levemente, aumentado o ritmo aos poucos e poucos. Ouvi gemer, e nisto ela espeta as unhas no meu peito, provocando-me ainda um maior prazer, contrário à dor que aquele gesto deveria provocar. Nisto, os nossos gritos ecoam pelo extenso oceano, pela floresta, pelo areal, por mim e ela, por tudo. Quando a nossa melodia acabou, ela deita-se em cima do peito e, passado breves segundos, rosna furiosamente, vestindo a sua camisola e proferindo, ligeiramente embaraçada:

 

-"Meu amor, estámos a ser observados."

 



publicado por Isabela às 18:02 | link do post | comentar | ver comentários (24) | favorito

Quinta-feira, 9 de Setembro de 2010

Olá. Bem, aqui estou eu com mais um capítulo. Já escrevi 15 capítulos em menos de um mês, estou a deixar todos os leitores muito mal habituados, mas eu estou a adorar esta experiência. Vou dedicar este capítulo à mg., pois é mais uma seguidora fiel da minha Fic (ela escreve bastante bem). Um enorme beijinho, espero que gostem :)

 

Emmett Cullen:

 

Ela. A razão pela qual eu estou vivo, se é isso que estou. Se não fosse ela a salvar-me do ataque de urso, a esta hora não me encontrava a observar a sua beleza incomparável, os seus lábios encarnados, a sua pele pálida, a sua perfeição. Não sei o quê que ela viu em mim para me querer salvar, mas todos os dias, dou graças por ter sido escolhido por ela para a acompanhar nesta vida sem fim. Foi por ela que me fechei neste quarto o resto da tarde, foi por ela que espalhei milhares de pétalas de rosas brancas pelo chão, foi por ela que fiz e faço sempre tudo. Tudo o que ela desejar, eu faço. Minha Rosalie. O ser perfeito que se encontra-se agarrado à maçaneta da enorme janela.

 

-"O que vêm a ser tudo isto, Emmett?" - proferiu-o num tom azedo -"Eu não te pedi solidão?"

 

-"Sim, pediste. Mas não me podes impedir que eu, pela milésima vez, te peça desculpa Rosie." - aproximei-me dela, mas ela contornou a enorme cama e distanciou-se de mim -"Rosie, por favor, não me faças isso."

 

-"Faço e vou fazer. Por favor, não tornes isto mais difícel do que já está a ser. Saí daqui, saí Emmett!"

 

Assim o fiz. Saí do enorme quarto, saí da casa da ilha. Rasguei a camisa com força e, furiosamente, encaminhei-me para a selva. Descarregar a minha raiva, a minha frustação. A culpa disto é toda minha. Maldito vício dos videojogos. Agarro numa àrvore com força e atiro-a ao oceano. Eu quero a minha esposa, a minha companheira de volta. Sinto um cheiro conhecido no ar, e sou invadido por ondas de calma. Jasper.

 

-"Têm calma Emmett, não destruas a floresta toda, ela não têm culpa." - proferiu ele, sempre com um tom calmo e tranquilizador.

 

-"Calma, como Jasper?" - sentei-me numa enorme pedra -"Estou prestes a perder a mulher da minha imortalidade. Sem ela, não quero pairar neste mundo."

 

-"Ela vai acabar por te perdoar, têm calma. Até parece que já não conheces a Rosalie. Ela anda sempre com os nervos à flor da pele, por vezes até eu tenho dificuldades em controlar-lhe as emoções. Deixa passar um tempo, não a pressiones. Dá-lhe espaço."

 

-"Isso já eu lhe dei. Não entendes Jasper? Eu e ela nunca estivemos mais de uma hora chatiados, tu sabes disso. Sempre fomos inseparáveis. Desde que tive a ideia de vir para esta ilha, parece que nada me corre bem, que nada nos corre bem."

 

-"Ela vai-te perdoar, eu tenho a certeza. A Alice recusa-se a dizer-me o que viu no vosso futuro, mas eu tenho a certeza que ela vai-te perdoar. Palavra de irmão."

 

-"Espero bem que tenhas razão Jasper." - oiço uns leves barulhos na floresta, mas ignoro -"Eu vou sempre amá-la, mesmo que ela não aceite as minhas desculpas. Vou sempre amar a pessoa que me salvou da morte certa, que me amou à primeira vista. Ela foi a primeira pessoa que vi depois da transformação. Foi a melhor visão da minha eternidade. Alta, escultural, com um leve vestido preto cintado ao corpo. Os seus cabelos perfeitamente ondulados, do mais loiro que já vi. Sei todos os pormenores dela daquele dia. Nunca os vou esquecer. Ela é e será sempre a minha alma gêmea. Faço tudo para lhe agradar. Casava-me com ela todos os dias, se isso a fizesse feliz. Eu amo-a, tanto, mais do que a mim próprio."

 

-"Oh, Emmett..."

 

Foi então que percebi os leves barulhos. Ela ouviu tudo o que eu disse, e eu, tão absorvido nas minhas palavras, nem dei pela presença dela. Ela lançou-se fortemente ao meu pescoço e Jasper deu uma leve gargalhada e desatou a correr para a casa da praia.

 

-"Desculpa Rosalie, desculpa..."

 

-"Claro que desculpo. Depois do que te ouvi dizer, e amando-te tanto como eu te amo, é claro que te desculpo. Meu marido, meu vampiro, meu Emmett." - ela passava-me as mãos pelo cabelo, proferindo as palavras perto do meu ouvido.

 

-"Sou louco por ti."

 

Passo as mãos, louco de saudades, pelo seu corpo escultural, arranco-lhe o biquíni e juntos, numa dança frenética, unimo-nos num só, de onde soltámos gritos, e muito, mas muito amor.



publicado por Isabela às 14:55 | link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito

Segunda-feira, 6 de Setembro de 2010

Olá. Mais um capítulo, apesar de andar com a minha inspiração na lama. Vou dedicar este capítulo à bloguista soniiinhaaa :D, pois sempre foi uma leitora assídua, com palavras carinhosas nos comentários. Beijinhos, espero que gostem.

 

 

Rosalie Cullen:

 

Vim caçar tranquilamente para a densa floresta da ilha da Esme. Enquanto sugava as últimas gotas de sangue de um jovem tigre, a minha mente fervilhava de raiva pelo meu estimado marido infantil. Prometeu-me que vinha ter comigo e até agora, nem sinal daquele vampiro desnaturado. Começo a ficar ligeiramente farta das infantilidades dele, ele é um adulto! Allém disso, desde que a minha família e o Jacob chegaram à ilha, que as atenções dele deixaram de estar centradas em mim. Volto para a casa da ilha, para vestir um biquiní e mergulhar nas águas profundas, para me acalmar, para deixar de ferver por dentro. Contudo, quando entro pelas enormes janelas do quarto branco, oiço umas fortes gargalhadas vindas da sala. O barulho da Nintendo Wii. Emmett, Renesmee e Jacob. Petrifico. Quer dizer, eu à espera dele, e ele fica em casa a jogar com o Fido e a minha sobrinha? A raiva começa a dominar-me. Antes que pudesse ir à sala e explodir para Emmett, oiço alguém entrar na sala, a um passo acelerado.

 

-"Emmett, Emmett!" - gritava Alice -"Ouve-me, presta atenção!"

 

-"Fadinha, agora não. Eu estou muitissímo ocupado, mais logo falámos."

 

-"Agora Emms!" - ouvi o comando da Wii a ser projectado contra a parede, misturado com as gargalhadas do cão e da Nessie -"A Rosalie, eu vi-a em visões, ela está furiosa contigo! O que fizeste desta vez seu desnaturado?"

 

-"Droga! Esqueci-me que ía caçar com ela Alice! Nem preciso de visões para saber que ela está enraivecida comigo, meu deus. E agora?"

 

-"Ouve-me Emmett" - Alice baixou o tom de voz, mas eu continuava a ouvir perfeitamente -"Ela está no vosso quarto, acho que devias de falar com ela."

 

Quando ela disse aquelas palavras, projectei-me, já com o biquiní vestido, para o oceano. Não quero falar com o meu marido, não. Contudo, quando estava a molhar os pés, sou agarrada fortemente pela cintura e beijada no pescoço.

 

-"Rosie, desculpa-me amor, desculpa-me." - murmurava Emmett, agarrado à minha cintura.

 

-"Larga-me Emmett, deixa-me em paz. Estou magoada contigo, desaparece."

 

-"Não amor, não me faças isso. Tu és tudo para mim, não fiques chatiada comigo, não fiques. Eu amo-te." - eu acho que se ele pudesse, neste momento estava a chorar.

 

-"Tira as tuas mãos do meu corpo Emmett Cullen. Eu já não sei se me amas. O que eu sei é que tu amas os videojogos, as piadas, os jogos de basebol, as lutas com Edward, as competições, os desafios. Eu para ti sou apenas a tua companheira, mas se tu me amasses, não me tinhas trocado por nada neste mundo, tal como eu faço em relação a ti."

 

-"Nunca digas que eu não te amo, nunca tenhas dúvidas nesse aspecto. Eu amei-te, amo-te e vou sempre amar-te Rosalie. Por favor, desculpa este vampiro infantil que não sabe viver sem ti."

 

-"Não Emmett, agora não. Vai para dentro, deixa-me em paz. Quero estar sozinha com a minha eternidade."

 

Cumpriu a minha vontade, visivelmente contrariado. Não quero saber dele, neste momento estou demasiado preenchida com a mágoa que ele me têm vindo a provocar. Mergulho profundamente, durante horas a fio. Vejo a lua a aparecer no céu estrelado e, farta de àgua, dirigo-me à enorme casa para trocar de roupa, expulsar o Emmett do meu quarto e deitar-me na enorme cama, sozinha. Contudo, quando abro as enormes janelas, deparo-me com um cenário inesperado.



publicado por Isabela às 15:56 | link do post | comentar | ver comentários (25) | favorito

Catheline, fanfiction.
♥ apresentação
Uma Fic, entre tantas outras; uma história de amor, acção, amizade e ódio; Uma fã de saga Twilight a escrever a sua continuação de Breaking Down. Espero que gostem, sejam bem-vindos, Catheline.
posts recentes

Esta semana preparem-se.....

Um simples pedido de desc...

Capitulo 29: Paris (Parte...

Capítulo 28: A ilha

Capítulo 27: Planos

Capitulo 26: Coração (Con...

Capítulo 26: Coração

Capítulo 25: És a minha v...

Capítulo 24: Corações pal...

Capítulo 23: Alec Volturi

Olá caros leitores...

Capítulo 22: Sangue Derra...

Capítulo 21: A escolhida ...

Capítulo 20 - Imprinting

19º Capítulo - Sentença

18º Capítulo - Musica, da...

17º Capítulo - Somos idên...

16º Capítulo - Observados...

15º Capítulo - Sou louco ...

14º Capítulo - Não Emmett...

arquivos

Junho 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

links